.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. NOVA DESCOBERTA GENÉTICA

.arquivos

. Junho 2012

. Janeiro 2012

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Terça-feira, 12 de Junho de 2007

NOVA DESCOBERTA GENÉTICA

No maior rastreio genético de sempre, realizado por um conjunto de investigadores constituído por 50 equipas de todo o Mundo, o Wellcome Trust, foi analisado todo o genoma de dois mil pacientes para cada uma das doenças e o de três mil pessoas sãs.
Os resultados foram publicados esta semana na revista científica norte-americana Nature. Mostram que, por exemplo, numerosos genes influenciam a predisposição para doenças bipolares, mas que cada gene tomado individualmente representa um risco muito pequeno para esta doença (à qual dedico um post neste blog) que afecta 100 milhões de pessoas pelo Mundo. Outro exemplo, um único gene duplica o risco de uma crise cardíaca em 20 por cento dos doentes que tenham duas cópias desse gene.
Entre outras descobertas, os investigadores encontraram uma ligação entre duas doenças aparentemente sem nada em comum: a diabetes tipo I (a menos frequente) e uma doença inflamatória do intestino, a doença de Crohn - um único gene, baptizado "PTPN2", que está envolvido na regulação do sistema imunitário. Também a hipertensão arterial, doença coronária, artrite reumatóide e diabetes tipo II foram outras das doenças-alvo deste estudo.
Uma investigação importante que abre caminho a melhores diagnósticos e a novas formas de tratamento, mais eficazes e personalizadas. Mas, alertam, nem tudo está nos genes. Há numerosos factores exteriores, como os estilos de vida (passíveis de serem modelados por cada um) ou o ambiente, que interferem no estado de saúde dos indivíduos, pelo que a prevenção continua a ser "o melhor remédio".

publicado por Dreamfinder às 20:46

link do post | comentar | favorito

.links